Saltar para o conteúdo
EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish

Museu Inclusivo

Princípio 1. Educação inclusiva ao longo da vida

“O direito à Cidade Educadora é proposto como uma extensão do direito fundamental de todas as pessoas à educação. Todas as pessoas que habitam a cidade terão direito a usufruir, em condições de liberdade e igualdade, dos meios e oportunidades de formação, diversão e desenvolvimento pessoal que esta oferece. A Cidade Educadora renova permanentemente o seu compromisso com a formação dos seus habitantes ao longo da vida nos mais diversos aspetos. E para que tal seja possível, é preciso ter em conta todos os grupos, com as suas necessidades específicas.

O governo e a administração municipal implementarão políticas destinadas a remover obstáculos de qualquer natureza que prejudiquem o direito à igualdade e à não discriminação. Tanto a administração municipal, quanto outras administrações que afetam a cidade, serão responsáveis por isso. Os cidadãos também deverão comprometer-se com este projeto, pessoalmente ou através das diferentes formas de associação em que estiverem organizados.”

O Museu de Olaria, sediado em Barcelos, tem procurado desenvolver um conjunto de estratégias que promovam a inclusão e fomentem a acessibilidade respondendo às necessidades e características de todas as pessoas que pretendam conhecer o Museu. São atividades preparadas atendendo às particularidades de cada grupo, como por exemplo, alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE), jovens e adultos com doença mental; jovens e adultos em situação vulnerável, pessoas cegas e com baixa visão, pessoas com mobilidade reduzida, etc.

Nesse sentido, O Museu tem vindo a desenvolver um conjunto de atividades para alunos com NEE que incluem a visita à exposição e a realização de uma oficina de expressão plástica, onde se privilegia a modelagem em barro como forma de possibilitar a descoberta e exploração desta matéria-prima que é a base do artesanato local e, em simultâneo, a vivência de experiências únicas e enriquecedoras para o desenvolvimento dos participantes.

Outra área específica adaptada às características dos grupos que pretendem visitar o Museu de Olaria é uma visita/oficina destinadas a pessoas cegas e com baixa visão. As atividades permitem a este público a visita ao Museu de Olaria e a participação numa oficina que promove o contato e o tateamento de réplicas das peças expostas e a experiência da modelagem em barro. Neste caso específico, O Museu de Olaria prepara um kit composto por diferentes peças do figurado de Barcelos, para disponibilizar na atividade prática, de forma a permitir que este público tenha acesso e contacto direto com uma arte tradicional desta região. Para este público, a atividade inicia-se com uma visita orientada a uma das exposições patentes ao público, com uma abordagem às particularidades das peças expostas. Após esta fase e já na oficina do serviço educativo, são distribuídas réplicas pelos participantes que serão tateadas pelos mesmos, o que lhes permite conhecer as formas e texturas das peças e assim estimular a sua criatividade. De seguida os participantes são convidados a experimentar a modelagem em barro, com inspiração em algum modelo ou a partir da livre criação.

Sempre que o grupo integra pessoas com mobilidade reduzida, ou com determinadas especificidades/ necessidades, o Serviço Educativo e de Animação re-organiza percursos e tempos de visita, intercalados com pausas e espaços de descanso e as oficinas integram, em contexto prático, mais momentos de diálogo e informação.

Todas as atividades são planeadas com os responsáveis pelos grupos de forma a permitir adaptar a visita e a oficina às características e objetivos de cada grupo. Nos últimos 3 anos, este programa contou com a participação de 483 visitantes.

Referências Bibliográficas

 

 

Educação de adultos

Autores: org. Licínio C. Lima

Alberto Melo – Colaborador

Publicado por: Braga: Universidade do Minho , 1994

Educação e formação ao longo da vida

análise crítica dos sistemas e dispositivos de reconhecimento e validação de aprendizagem e de competências

Autores: Ana Luísa de Oliveira Pires

Publicado por: Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian , 2005

Percursos de uma educação em valores em Portugal

influências e estratégias

Autores: Ana Paula Pedro

Publicado por: Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian , 2002

Descrição: 330 p. ; 23 cm

Educação para a cidadania

por Mendo Castro Henriques… [et al.]

Publicação: Lisboa Plátano 1999 . 342, [3] p. 26 cm

 

Necessidades educativas especiais

por coord. Rafael Bautista

Publicação: Lisboa Dinalivro 1997 . 411 p. 23 cm

 

Formação ao longo da vida e gestão da carreira

por Joaquim Luís Coimbra, Filomana Parada

Publicação: Lisboa Direcção-Geral do Emprego e Formação Profissional 2001 . 136 p. 23 cm

 

Educação

dos fins aos objectivos

a análise e a concepção das políticas educativas, dos programas da educação, dos objectivos operacionais e das situações de ensino

Autores: Louis D’Hainaut; Boavida  João José  Tradutor

Publicado por: Coimbra: Almedina , 1980

Descrição: 478 p. ; 21 cm

A formação não profissional de adultos na Europa

Autores: Eurydice

Publicado por: Lisboa: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação , 2009

 

2019 - Todos os Direitos Reservados - Município de Barcelos | Política de Privacidade | Desenvolvido por DMT

Tamanho da Fonte