Turismo Religioso

Se a razão da sua vinda a Barcelos for a religiosidade, não faltam por cá bons motivos para a sua visita, seja a percorrer os ancestrais Caminhos de Santiago, a subir ao cimo dos seus montes sagrados ou simplesmente a absorver-se na visita dos seus históricos santuários!

Na Cidade

Igreja Matriz

A sua construção iniciou-se na segunda metade do século XIV, foi ordenada por D. Pedro, o 3.º Conde de Barcelos, cujas armas estão gravadas nas arquivoltas do portal principal. É um edifício com cariz de transição do românico para o gótico. Foi bastante transformada ao longo dos séculos XV a XVIII. No século XX, foi-lhe restituída a rosácea. No lado sul da sua fachada possui uma torre sineira que data do século XVIII.

 

Templo do Bom Jesus da Cruz

A sua origem está relacionada com o aparecimento miraculoso de uma cruz de terra negra no chão barrento do Campo da Feira em Dezembro de 1504. O templo actual abriu ao culto em 1710. É um edifício de cúpula e planta centrada com o espaço interior disposto em cruz grega, da autoria do Arquitecto João Antunes. Este templo é anualmente o palco central da Tradicional Festa das Cruzes (3 de Maio).

 

Igreja de Nossa Senhora do Terço

Faz parte do antigo convento de freiras beneditinas, datado do início do século XVIII. A igreja possui um deslumbrante espaço interior. A sua importância na arte barroca advém sobretudo dos seus painéis de azulejo azul e branco, datados de 1713, mostrando cenas da vida de S. Bento e emblemas moralizantes e da sua valiosa talha dourada.

 

Edifício da Misericórdia

Foi Convento dos Capuchos e passou para a Santa Casa em 1836. A igreja deve ter sido bastante rica, mas um incêndio em finais do terceiro quartel do século XIX destruiu-lhe muito do seu recheio barroco. Possui uma imagem de Santa Maria do século XVI.

 

No Concelho

 

Abade de Neiva – Igreja Paroquial

Monumento Nacional desde 1927, a Igreja de Sta. Maria de Abade de Neiva é datada do século XIV. A sua torre muito provavelmente é do século XV.

 

Areias de Vilar – Capela de Nossa Sra. do Socorro

A Capela de Nossa Senhora do Socorro está situada no cimo de um grande escadório. É uma reconstrução relativamente moderna, na qual se pode observar a data de 1812 inscrita na sua porta principal.

 

Balugães – Santuário de N. Sra. da Aparecida

Datado do século XVIII, o Santuário de N. Sra. da Aparecida, assume-se como um dos locais religiosos de maior interesse em todo o Concelho de Barcelos.

 

Balugães – Igreja Paroquial

Próximo do Monte Carmona, encontra-se a Igreja Paroquial de Balugães. É uma igreja característica do românico rural.

 

Barqueiros – Santuário de Nossa Senhora das Necessidades

Datado do último quartel do século XVIII, o Santuário da N. Sra. das Necessidades e um majestoso templo barroco que tem vindo a substituir a antiga Matriz setecentista de Barqueiros.

 

Bastuço S. João – Capela de Nossa Senhora da Boa Fé

Embora alguns peritos da História de Barcelos pensem que as origens da Capela de Nossa Senhora da Boa Fé remontem a 1650, alguma documentação existente refere que essa data corresponde à sua reconstrução.

 

Cambeses – Escadório e Capelas da Paixão de Cristo

Correntemente denominado “Os Calvários”, este escadório, alusivo à Paixão de Cristo, assume-se como um dos mais atractivos pontos de interesse a ser visitado, na freguesia de Cambeses, Concelho de Barcelos.

Adornado com sete capelas, cada uma alusiva aos vários passos da Paixão de Cristo, o Escadório é coroado, ao cimo, pela Capela do Bom Jesus.

 

Cossourado – Capela de Nossa Sra. da Cadavosa

Incluída no roteiro dos caminhos de Santiago, velhos documentos asseguram que esta bonita capela, existia já no tempo da invasão dos Mouros (séc. VIII), contando-se a história da fuga do abade da ermida, com a imagem da padroeira da capela, de modo a evitar que a mesma fosse destruída pelos infiéis.

 

Manhente – Igreja Românica

A Igreja “Velha” de Manhente foi edificada em 1117, por Nestro Gonçalo e conserva ainda a sua traça românica primitiva, embora tenha sofrido algumas alterações, em obras posteriores. Possui em frente uma imponente torre - fortaleza.

 

Pedra Furada – Capela de N. Sra. das Brotas

Embora se desconheça a data da sua edificação, a Capela de N. Sra. das Brotas parece datar dos séculos XV e XVI. Possui um extraordinário Altar – Mor em talha dourada ao estilo Renascença.

 

Pereira – Ermida e Escadório da Franqueira

Localizada no Monte da Franqueira, na freguesia de Pereira, a sua fundação é atribuída a Egas Moniz. O seu interior é simples e sóbrio, destaca-se o altar de jaspe oferecido pelo 8º Conde de Barcelos que o trouxe de Ceuta em 1415.

 

Remelhe – Túmulo do Bispo D. António Barroso

D. António Barroso, nasceu na freguesia de Remelhe a 5 de Dezembro de 1854, foi missionário e bispo em África, assim como bispo na cidade do Porto, onde faleceu a 30 de Setembro de 1918. Em 1927 o seu corpo foi transladado para uma capela monumento do Cemitério Paroquial de Remelhe.

 

Remelhe – Casa do Bispo D. António Barroso

Relativamente à casa desta notável personalidade, refere-se apenas que este mandou construir uma modesta habitação junto à casa onde tinha nascido (Lugar de Moldes), sendo hoje, motivo de peregrinação juntamente com o seu túmulo.

 

Várzea – Igreja de S. Bento da Várzea

No ano de 570, S. Martinho de Dume, fundou nesta freguesia, um mosteiro beneditino, o qual estaria no mesmo local que a actual Igreja Paroquial que alberga no seu interior um magnífico tesouro de azulejaria beneditina, da autoria de Frei Paulino.

 

Tregosa – Santuário da Senhora do Calvário

Na encosta do monte, a sul da freguesia de Tregosa, encontramos a pequena Capela de Nossa Senhora do Calvário, a qual dispõe de escassas descrições técnicas e históricas, apenas referindo que esta é precedida por várias cruzes ao longo de um extenso escadório que formam o Calvário.

 

Encourados – Capela de Sta. Luzia

A Capela de Sta. Luzia é relativamente recente e foi mandada edificar pela Família Matos, com a finalidade de substituir a antiga que aí existiu. De grande valor artístico, digno de visita é a bela imagem de Santa Luzia (padroeira das doenças dos olhos) de 1730, que foi retirada da antiga capela.