Museu Vivo do Caminho de Santiago

Caminhos de SantiagoBarcelos é por direito próprio o epicentro do caminho Português de peregrinação a Santiago de Compostela, uma vez que é um centro urbano com raízes históricas elencadas na tradição de peregrinação a Santiago.

Barcelos  foi um centro viário medieval, onde desde  os tempos pré-românicos se verificava o entroncamento de estradas. Mesmo antes da Ponte Medieval construída no Séc. XIV, o burgo barcelense tinha esta característica. Contudo, após a construção da ponte, Barcelos afirma-se em definitivo como ponto de passagem priveligiado e torna-se o grande ponto de passagem de peregrinos a Santiago.

É a cidade da lenda do Galo, tradição ligada à peregrinação compostelana e possui edifícios e espaços de valor patrimonial intimamente ligados a esta rota de peregrinação medieval; como a Capela da Senhora da Ponte, em Barcelinhos,  onde ainda se podem ver os bancos e pias de pedra (lava-pés) para descanso dos peregrinos, o Antigo Paços dos Condes de Barcelos onde existe o Cruzeiro do Galo, onde se corporiza o Milagre de Santiago em que o Galo e o Apóstolo salvam o peregrino da Forca, imortalizando esta lenda da qual emanaria o símbolo desta cidade e mais tarde de Portugal;

  • O  antigo Hospital de apoio a peregrinos, actualmente parte integrante do edifício Municipal;
  • O Largo do Apoio, antigo ponto de comércio medieval;
  • A Torre da Porta Nova;
  • O Templo do Bom Jesus da Cruz (após o Milagre das Cruzes impressas no Campo da Feira em 1504, a capela ali edificada tornou-se ponto de passagem obrigatório dos peregrinos a Compostela);
  • O Convento do Terço, o Solar do Benfeito, entre outros.

Mas para além da cidade esta peregrinação tem testemunhos ao longo do concelho, marcas de uma peregrinação que faz parte da história deste território, como:

Simbolo do Caminho de Santiago

  • A Pedra Furada
  • A Capela da Senhora das Brotas
  • A Capela da Senhora da Guia
  • As alminhas da aldeia em Pereira
  • A Capela de Santo Amaro
  • A capela do Espírito Santo
  • A Ponte da Pedrinha
  • A Capela de S. Sebastião
  • A Capela da Santa Cruz
  • A Fonte da Ferreirinha
  • O Cruzeiro da Portela (com símbolos jacobeus gravados como o Bordão, a cabaça e a vieira)
  • A Recoleta de Tamel S. Fins (actual albergue)
  • A Ponte de Tábuas
  • A Igreja Românica de S. Martinho
  • A Antiga igreja paroquial de Balugães
  • O Santuário da Senhora da Aparecida

Entre muitos outros elementos que se espalham ao longo do concelho que rememoram, ao longo dos tempos, a passagem efectiva dos peregrinos e fazem desta cidade um "livro" aberto da grandiosa história desta peregrinação, que faz de Barcelos, por direito próprio o Museu Vivo do Caminho a Santiago.

 

Actualmente existem no concelho 4 albergues de peregrinos e dois pontos especializados de apoio aos peregrinos (Casa da Azenha e Posto de Turismo). É um dos concelhos do caminho com mais estruturas de apoio aos peregrinos, em toda a rede jacobeia nacional.

Mas a riqueza do caminho em Barcelos, não se fica pelo caminho central ou medieval, uma vez que outros itinerários marcaram a história dessa peregrinação no concelho, e embora o caminho central tenha mantido a tradição desde a idade medieval, outros itinerários deixaram marcas no território e na nossa história:

 

  • Braga, Ponte de Anhel (Alheira), Ponte da Caridade, Viana do Castelo, com passagem por Igreja Nova, Cossourado e Balugães.
  • Barcelos, Monte de S. Gonçalo e Ponte de Fragoso, com passagem por Abade de Neiva, Vilar do Monte, Feitos e Fragoso. É conhecido pelo caminho da Rainha, uma vez que terá sido este o itinerário seguido pela Rainha Santa Isabel na sua peregrinação a Compostela no Século XIV. Na rede dos Caminhos a Compostela é designado de CAMINHO DO NORTE.
  • O CAMINHO DA COSTA, que deriva do caminho central em S.Pedro de Rates, tem também parte do seu percurso na freguesia de Barqueiros, no concelho de Barcelos.

 

De destacar ainda os itinerários jacobeus que ligavam Rio Covo, Várzea, Manhente à Ponte de Anhel em Alheira; e um outro que ligava Arnoso Sta. Eulália em Vila Nova de Famalicão, a Cambeses, Sequiade, Encourados a Areias de Vilar, itinerário que se ligavam às rotas principais.

 

 

Folhetos para Download: