Início do Ano Hidrológico

1. Medidas preventivas:

Com o findar do Verão e o início do Outono recomeça um novo ano hidrológico que coincide, normalmente, com a altura do ano em que as reservas de água atingem o seu mínimo e as chuvas passam a ser mais frequentes.

Assim, e como medida preventiva, recomenda-se a tomada de algumas medidas de precaução, como:

- Inundações em meios urbanos e em vias de comunicação causados por acumulação de águas pluviais.

- Cheias motivadas pelo transbordo do leito de rios e ribeiros.

- Instabilidade de taludes ou deslizamentos de terras.

2. Inundações em meios urbanos e em vias de comunicação causados por acumulação de águas pluviais:

Recomenda-se a:

- Limpeza e desobstrução de sumidouros, sarjetas, valetas e outros canais de drenagem, removendo folhas caídas das árvores, areias e pedras.

- Desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais dos quintais ou varandas e a limpeza dos bueiros, algerozes e caleiros dos telhados das habitações.

3. Cheias devidas ao transbordo do leito de rios e ribeiros Recomenda-se a:

- Desobstrução de linhas de água principalmente junto a pontes, aquedutos e outros estrangulamentos do escoamento.

- Limpeza de linhas de água assoreadas.

- Limpeza dos resíduos sólidos urbanos, depositados nos troços marginais dos cursos de água.

- Evitar cortes rasos de material lenhoso ardido em situações de declive intenso, localizadas nas proximidades das linhas de água.

- Recolha ou trituração dos resíduos resultantes do corte dos salvados das áreas ardidas, localizadas nas margens das linhas de água.

- Recolha ou trituração dos resíduos de actividades agrícolas e florestais existentes nas margens das linhas de água.

- Verificação e, se for caso disso, reparação, de possíveis situações de desmoronamento das margens das linhas de água, de modo a evitar obstruções ou estrangulamentos.

- Inspecção visual de diques ou outros aterros longitudinais às linhas de água destinados a resguardar os terrenos marginais.

- Identificação de novos “pontos críticos” (aglomerados populacionais, edificações, vias de comunicação, pontes e pontões, etc.) em zonas que habitualmente não são atingidas por cheias mas que, este ano, podem vir a ser afectadas.

4. Instabilidade de taludes ou deslizamento de terras As principais observações que devem ser feitas, em especial em taludes de maior inclinação, são as seguintes:

- Em taludes rochosos, em que pode haver desmoronamento de blocos de rocha, deve observar-se o normal funcionamento das estruturas de escoamento e as estruturas de suporte para a estabilização de taludes.

- Em aterros e taludes de terra, devem observar-se possíveis deformações ( abertura de fendas que significam arrastamento de material ), bem como assentamento devido às variações do nível da água nos terrenos.

5. Contaminação de captações de abastecimento de água Recomenda-se a adopção das seguintes medidas:

- Reforço da inspecção visual e vigilância de sedimentos, partículas em suspensão e arraste de detritos nas linhas de água e áreas adjacentes dos poços.

- Reforço da verificação das condições de tratamento e de instalação das redes de abastecimento de água ( poços e condutas ).

- Intensificação da verificação dos sistemas de abastecimento de água, uma vez que poderão ter maior teor de sólidos suspensos em resultado das primeiras chuvadas.

- Análise química e bacteriológica da água de consumo, sempre que necessário.