Você está aqui: Entrada Notícias Arquivo de Notícias 2017 Junho “Pela Poesia é que Vamos” apresentado na Biblioteca Municipal

“Pela Poesia é que Vamos” apresentado na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal de Barcelos recebe na próxima sexta-feira, dia 16 de junho, às 21h30, a apresentação do livro “Pela poesia é que vamos”, de Inês Martins de Faria.

 

A apresentação do livro e da autora estará a cargo de Teresa Duarte. A sessão contará ainda com um recital de poesias cantadas e cantigas populares e declamação de poesia.

“Pela Poesia é que vamos” é um livro de poesia dividido por cinco temas, “Um entre todos, homens e Deus”, “Entre terra, céu e mar”, “Ânsias”, “Esperando, mas caminhando” e “Enfim…amor e saudade”, constituído por estrofes livres, sem versos nem rimas definidos, e por sonetos.

 

Informação adicional:

Inês Martins de Faria nasceu e cresceu entre cestos de ervas e espigas de milho a debulhar, saídas dos campos de Curvos, freguesia de Esposende. E cresceu um pouco mais chamando os bois pela soga, em tardes sem escola, ouvindo atentamente os pais e os oito irmãos mais velhos e sentindo-se mestra dos quatro mais novos.

E chorou contra as injustiças dos crescidos sobre os menores; e nisto tanto fez que fossem da família como da sua sociedade ou doutras bem distantes. Mas também cantou a plenos pulmões tanto nas lidas domésticas como nos trabalhos do campo, só ou acompanhada.

E foi escrevendo as suas alegrias e tristezas, mais estas do que aquelas, ao longo da vida, entre a aldeia e as cidades por onde foi passando, ou seja, da escola salazarista à mestria que a universidade lhe proporcionou. Desde há mais de 20 anos que é professora de História na Escola Rosa Ramalho e que reside neste concelho de Barcelos.

Desde muito jovem, foi-se perdendo em horas de escrita, leitura, investigação e mais escrita e nelas ficou até ser adulta, continuando pequena. Pessoas e locais entusiasmam-na.

Depois de quatro obras de História Local, demográfica e de outros adjetivos, e de participações em iniciativas de outros, lançou-se agora a publicar a poesia dos seus últimos tempos, mas ainda com a mesma força dos tempos idos. Afinal, “pela poesia é que vamos”!

Publicou os seguintes livros: “Santo André de Barcelinhos: o difícil equilíbrio de uma população, 1606-1910”,  “A Igreja a Terra e os Homens. As visitas pastorais e outros achados…”, “Perto do fim. História e romance com base em testamentos (1720-1936)”, “Gente da Minha Terra. Curvos: análise demográfica e social (1596-1998)”. Concluído e aguardar publicação, “Moure: cem anos de História (…)”.

 

classificado em: